CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DO ADULTO

Recomendações da Associação Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2012-2013

VACINAS ESQUEMAS COMENTÁRIOS DISPONIBILIZAÇÃO DAS VACINAS
Postos púlbicos de vacinação clínicas privadas de imunização
Tríplice viral
(sarampo, caxumba
e rubéola)
Uma ou duas doses (com intervalo mínimo de 30 dias) para homens nascidos após 1962, de acordo
com histórico vacinal, de forma que todos recebam no mínimo duas doses na vida. Dose única para
homens nascidos até 1962.
Contraindicada para imunodeprimidos. SIM SIM
Hepatites A, B ou A e B
Hepatite A: duas doses, com intervalo de seis meses após a primeira (esquema 0-6 meses). • A vacinação combinada contra as hepatites A e B é uma opção e pode substituir a
vacinação isolada contra as hepatites A e B.

• Esquemas especiais de vacinação contra a hepatite B:
a)para imunodeprimidos e renais crônicos: dose dobrada (2 mL = 40 mcg) em quatro
aplicações (esquema 0-1-2-7 meses);
b)optar por esquema acelerado quando houver urgência na obtenção de proteção
contra a hepatite B, com três aplicações iniciais aos 0, 7 e 21 dias, e uma quarta dose
após 6 meses.
NÃO SIM
Hepatite B: três doses – a segunda um mês depois da primeira e a terceira seis meses após a primeira
(esquema 0-1-6 meses).
SIM,
até 29 anos*
SIM
Hepatite A e B: três doses – a segunda um mês depois da primeira e a terceira seis meses após a
primeira (esquema 0-1-6 meses).
NÃO SIM
HPV A vacina quadrivalente contendo os tipos 6, 11, 16 e 18 tem seu uso autorizado e recomendado para meninos e jovens de 9 a 26 anos de idade. Esquema de doses: 0-2-6 meses. A vacina HPV é indicada para a prevenção de infecções por HPV. A melhor época para vacinar é a da adolescência, entre os 11 e 12 anos de idade. NÃO SIM
Vacinas contra difteria,
tétano e coqueluche
Com esquema de vacinação básico completo: reforço com dT (dupla do tipo adulto) ou dTpa (tríplice
bacteriana acelular do tipo adulto). Reforço a cada dez anos com dT ou dTpa.
• O uso da vacina dTpa está especialmente indicado para adultos que convivem ou
cuidam de lactentes menores de um ano, visto serem um dos principais transmissores
da Bordetella pertussis para esse grupo.
• Uma dose de vacina dTpa é recomendada, mesmo nos indivíduos que receberam
a vacina dupla bacteriana do tipo adulto.
• Para homens que pretendem viajar para países em que a poliomielite é endêmica,
deve-se considerar o uso da vacina dTpa combinada a pólio inativada (dTpa-IPV).
dT
SIM
dT
NÃO
Com esquema de vacinação básico incompleto (que tenha recebido menos de três doses do
componente tetânico durante a vida): completar o esquema de três doses, aplicando uma dose de
dTpa (tríplice bacteriana acelular do tipo adulto) e uma ou duas doses de dT (dupla bacteriana do tipo
adulto) no esquema 0-2-6 meses. Reforço a cada dez anos com dT ou dTpa.
dTpa
não
dTpa
sim
Varicela (catapora) Duas doses com intervalo de um a três meses entre elas. Indicada apenas para adultos sem história anterior de varicela.
Contraindicada para imunodeprimidos.
NÃO SIM
Influenza (gripe) Dose única anual. SIM, para grupos
de risco
SIM
Meningocócica
conjugada ACWY
Dose única. Considerar, em situações de risco aumentado, dose de reforço para aqueles vacinados
há mais de cinco anos. Se a vacina meningocócica conjugada quadrivalente não estiver
disponivel, a monovalente para o tipo C pode ser empregada, lembrando que esse é o
tipo mais comum em nosso país na atualidade.
NÃO SIM
Febre amarela Uma dose para residentes ou viajantes para áreas com recomendação da vacina (de acordo com
classificação do MS). Se persistir risco, fazer reforços de dez em dez anos.
• Indicada para habitantes de áreas endêmicas de febre amarela e para as pessoas
que vão viajar ou se mudar para essas regiões, assim como para atender as exigências
sanitárias de determinadas viagens internacionais.
• Vacina contraindicada para imunodeprimidos, exceto quando os riscos de adquirir a
doença superam os riscos potenciais da vacinação.
• Vacinar pelo menos dez dias antes da viagem.
SIM SIM